A eleição de Obama e motivos para preocupação

Comentário publicado originalmente às 09h30 de ontem (04/11)

As atuais eleições americanas já entraram para a história como as mais importantes do século. As circunstâncias que nos levam a crer dessa forma já foram exaustivamente expostas: imensa probabilidade de um candidato negro ser o próximo presidente, Sarah Palin, a catástrofe na economia mundial, guerra no Iraque…e assim vai. Dentre todos esses fatos, o que mais chama a atenção, sem dúvida, é a alta possibilidade de Obama ser eleito.

É espantoso como um homem desconhecido, sem história política, sem experiência relevante e sem propostas concretas conseguiu emergir do nada e triunfar de Illinois para o mundo. Há quem diga que a história, por si só, elucida tudo isso: a eleição de Obama significaria a superação de uma era racial e a consagração do “novo”. E essa consagração me inquieta, e muito. Presidência dos Estados Unidos não é lugar para se testar e calibrar o “novo”.

Vocês me conhecem e sabem que eu não gosto de nada que seja demasiadamente revolucionário e/nem exorbitantemente popular. A soma dessas duas características me incomoda por um único motivo: ambas tendem a um movimento de adesão quase una, abolindo, para isso, um dos preceitos fundamentais da democracia: a diversidade. Obama é democrático? Deve ser. Pelo menos sua obsessão pela famigerada “cidadania global” me leva a crer que sim. Mas, como uma antítese, esse papo me remete a uma possível desterritorialização preocupante. Refiro-me à desterritorialização pensada por Gilles Deleuze, que propõem a perda de identidade cultural e, se atingir o extremo, pessoal. Transfiro esse conceito para o campo político e social: Obama representa essa desterritorialização. Em um mundo onde os comportamentos são guiados de forma a beirar uma sociedade singular, a eleição do democrata representa essa, digamos, tendência de forma clara. Se isso é bom ou ruim, sinceramente, eu não sei. Por isso mesmo me preocupo.

Ficou claro durante a campanha eleitoral que nem Obama e nem McCain fizeram programas de governo 100% exeqüíveis. No segundo debate, por exemplo, os candidatos não conseguiram explicar com clareza onde vão cortar gastos devido à crise. McCain embromou no campo fiscal e prometeu cortar impostos. Já Obama resolveu extremar seu lado socialista e falou – não claramente, que fique bem claro, mas, sim, de forma obscura – em distribuir riquezas. Falar isso em plena capital mundial do capitalismo pode parecer um atentado à lógica, não? Pois é. Mas, mesmo assim, sua retórica continuou a prosperar de semelhante forma às palavras de Cristo em sua primeira vinda à Terra. Não ficou somente nisso. Em outra ocasião, Obama declarou: “A mudança de que precisamos implica uma política fiscal que não premeie os ‘lobbys’, mas sim os trabalhadores americanos e os pequenos empresários que o merecem”. Huumm…Essa história de beneficiar as minorias através da máquina do Estado…

O feeling dos meios de comunicação também ficou latente. Obama criticou de forma pertinaz o método de condução da guerra no Iraque. Porém, em um debate, sem meias-palavras, sustentou que vai atacar o Afeganistão. O democrata também criticou duramente os gastos militares no Iraque, mas, pra variar, não explicou como pretende atacar o Afeganistão sem gerar gastos…militares.

A obstinação não pára por aí.

Enquanto McCain deixou claro seu repúdio à tentativa da Rússia em se impor sobre outros países do Leste Europeu, chagando, inclusive, a cogitar sua expulsão do G-8; Obama cogitou a possibilidade de sentar-se em uma mesa de diálogo com Ahmadinejad – aquele que financia o terror no Afeganistão, lugar que Obama promete dura política de combate ao terrorismo.

Certa vez, Obama disse que “McCain não entende” (de quê, eu não sei). Agora, quem não entende uma coisa sou eu: retirar as tropas americanas do Iraque de forma intempestiva – como já prometeu Obama – pode resultar em um conflito civil sério, à semelhança do que houve no Camboja, onde o regime comunista matou mais de 1,7 milhões de pessoas. Espero, francamente, que este não seja o legado que Obama deixe à humanidade. Seria uma insanidade política retirar os soldados americanos do Iraque no momento em que os conflitos internos, naquele país, amenizam-se a cada dia. 100 dias não é prazo para acabar com uma guerra que dura há cinco anos.

Se não fossem os sucessivos erros de Bush, McCain poderia ganhar essas eleições e com uma boa margem de diferença. É desonestidade intelectual afirmar que eleger McCain seria mais do mesmo. McCain foi um dos críticos mais ferrenhos da administração Bush, chegando a ser motivo de discórdia dentro do partido Republicano.

O povo americano tem muito respeito por McCain. E para se provar isso, bastar uma simples conta matemática: a gestão Bush é aprovada por menos de 30% da população americana, certo? Sendo assim, espera-se um massacre de Obama contra McCain de, pelo menos, 15 pontos de diferença. E não é isso que as últimas pesquisas de intenção de voto demonstraram. A última, divulgada hoje pelo instituto Rasmussem, dá 52% para Obama e 46% a McCain. Apenas 6 pontos de diferença.

Obama vai ganhar. Isso é certo.

Depois não digam que eu não avisei.

Anúncios
A eleição de Obama e motivos para preocupação

36 pensamentos sobre “A eleição de Obama e motivos para preocupação

  1. Rachel Shwolkh diz:

    Epa! No seu discurso, NObama já disse que o que ele precisa fazer nãovai ser feito em um dia, em um ano ou em um mandato.
    Soa familiar?
    Se acontece um novo 11 de Setembro (queira Deus que não!), o sujeitinho vai ter um compromisso importantíssimo no Alaska, no Havaí ou, most likely, nobanheiro da Casa Branca.

  2. andressa diz:

    Obama é mais um populista pilantra como conhecemos bem, apenas que é alfabetizado. Os EUA tiveram seu dia de América Latina, que inclui a maioria democrata e a indicação de juízes para a Corte Suprema. Só não haverá tantos atropelos à democracia porque lá existe oposição de verdade.

  3. Rodrigo diz:

    Sou um dos “nobres leitores” que vc já massacrou publicamente. Pode fazer tudo de novo se quiser. Mas sou obrigado a afirmar que essa opinião traduz seu preconceito mais profundo. Só pq o cara é p….? aposto que se fosse um vindo das elites vc o apoiaria imensamente. esse seu discurso de gente elitizada já é ultrapassado. vc deve ser daqueles que desprezam o seu semelhante sem a menor cerimonia. cara, aprenda uma coisa qe conviver divergindo é muito bom. vc é racista, preconceituoso, não deve gostar de gay…..esse conservadorismo inútil

  4. ricardo fernandes diz:

    Ninguém vai falar a verdade? Houve um racismo invertido nos EUA nesta eleição.
    Aliás, também foi considerado preconceito simplesmente dizer o nome domeio do mulato claro, que não é afrodescendente, Obama.
    Que brasileiros ignorantes pudessem eleger Lula graças a proteção da mídia brasileira inteira, que escondeu o Foro de são Paulo, é compreensível. Além disso, a internet não era tão abrangente.
    Mas, nessa eleição, apesar do montante gigantesco de dinheiro a sua disposição, apesar da proteção da imprensa, apesar de tudo o mais… Bem, os americanos foram tão iludidos quanto os brasileiros.
    Não precisamos ter um complexo de inferioridade, o mundo todo decaiu.

  5. el profeta diz:

    Bom, tá legal. Obama foi eleito. E…?
    Será que hoje conseguiremos ler, ver e ouvir outra coisa, nos jornais e nas TVs? Não, ainda não.

    Faltam ainda as imagens do “dia seguinte”, nos EUA e no muuuuundo, etc e tal. É a “eloálização” da eleição de Obama, que precisa render mais umas 2 semanas de trolóló vazio e “poético”.

    Depois… depois se vê o assunto-show da hora, ué! E tome overdose! Olimpíadas,pré sal, crise duzamericanu, pré sal, Elóa, mais pré sal, Obama e? Falta tanto para o Carnaval, ainda! Putz, que chato, será que terão de falar sobre coisas comuns, tipo inflação, reformas, safra, chuva, sol?

  6. Místico diz:

    Lembremos Nostradamus quando disse ele do primeiro Papa negro,ou sería análogo ao presidente negro ?
    Esperemos…

  7. Elias Santos diz:

    BOM NÃO MUITO O QUE DIZER, ELES O ELEGERAM ENTÃO O EMBALEM.

    AGORA COMO FICARÃO AS INÚMERAS PROVAS DE VIGARICE EXPLÍCITA QUE ENVOLVEM O NOVO PRESIDENTE??? LÁ COMO CÁ A MANIPULAÇÃO DA VERDADE AS TRANSFORMARÃO EM VIRTUDES, PARECE UM PROCESSO URDIDO PARA O PLANETA, QUE VEM DANDO CERTO.

    É MUITO TRISTE ASSISTIR A TUDO ISSO, PRINCIPALMENTE QUANDO O QUE HÁ DE PIOR NO JORNALISMO, NA POLÍTICA E CARÁTER APOIOU CEGAMENTE A FARSA

  8. Helena O. diz:

    Acho que tão somente os valores com que Obama foi criado podem mudar o mundo.
    Explico: o fato de ser filho de ativistas políticos, criado em dois países do terceiro mundo. Com dois pais diferentes e negros, sendo que um mulçumano. Depois acolhido por um casal de intelectuais americanos, seus avós, que investiram tudo para ele ser um DOUTOR de Havard, faz a diferença na história individual dele e pode projetar uma nova agenda para a humanidade que reflita a inclusão.
    O multiculturalismo, a inclusão, a rede de proteção social, o entendimento da cultura do terceiro mundo – sua avó é Massai – pode e deve projetar novos rumos para a cultura, a economia e a política mundial se der Obama na cabeça.
    E é disso que todos falam e não que ele vai proteger esse ou aquele país na política exterior ou transgredir as instituições democráticas norte americanas, etc.
    Essa expectativa é de gente que pensa pequeno.
    É o simbolismo que ele representa que estimula o imaginário dos povos para perspectivas de mudanças em um mundo cada vez mais sem fronteiras, porém hostil

  9. anônimo diz:

    acho que todo esse seu discurso revela uma coisa só: o racismo inrustido e impregnado na direita conservadora. Você odeia negros, minorias e afins

  10. Lourdes diz:

    Eu que votaria no McCain, fiquei com pena dos eleitores obamistas…Se os novos americanos estão pensando que vão ganhar salário esmola do governo, vão ganhar visto permanente(green card) para “tirar”empregos dos americanos natos, vão tirar os soldados das duas guerras(como fez o socialista espanhol”Sapateiro”), vão proliferar os casamentos gays pelo país… Esse pessoal me dá pena, porque a realidade é outra…

  11. Anderson Menezes diz:

    Se o Obama nao ganhar, o mesmo povo que acha que o Gabeira foi vitima de fraude (porque, coitados, tiveram que viajar por conta do feriado antecipado e assim nao votaram) e o Massa perdeu o campeonato de F1 porque o Glock deixou o Hamilton passar vai dizer que o Obama nao ganhou porque houve uma “conspiracao” contra ele. Ô gente chata!!!!

  12. Carla Orfeu diz:

    Obama acabará se revelando o mais branco dos presidentes americanos.
    Ri! Ri! Ri!
    Conseguirão o antiamericanos conter as declarações racistas quando forem maldizer o novo presidente americano?
    Conseguirão se manter politicamente corretos?
    Será engraçado!

  13. Fernando Costa (da Band) diz:

    Rirei muito nos próximos quatro anos!!!

    Como defensor da democracia,o povo pagará,e caro,pela sua ignorância,pelo seu delírio,pela sua loucura,pela sua insensatez!!!

    Lamento,sempre,pelas crianças no mundo,as grandes vítimas pelas cagadas dos adultos e de seus genitores,é claro…

    Verei,com um sorriso nos lábios,a vergonha estampada na cara,seja dos eleitores de Obama,seja dos simpatizantes de Obama fora dos Estados Unidos,quando o “deus” com pés de barro começar a trincar e cair ao solo…

    A decepção dos parvos será dolorosa!!!Afinal,ninguém gosta de ser feito de trouxa,não é verdade???!!!Hehehe

    Ter visto a estupidez alheia na defesa enlouquecida,e até intransigente,por Obama,sendo brandido como sendo o novo Messias,a única verdade,para logo em seguida ser esmagado,pulverizado pela Realidade,quando chegar a hora dos quadrúpedes colocarem as quatro patas no chão,ah(como diz certa propaganda),isso não tem preço,hehehe!!!

    Uma sugestão para o Partido Republicano:como o cidadão americano já se abrasileirou,se imbecilizou,podem chamar o SUPERMAN para concorrer pelos Republicanos,nas próximas eleições…Sim,é verdade,chegamos a este ponto de esquizofrenia cognitiva:a fantasia vira realidade e a realidade vira fantasia…Se Obama conseguiu,qualquer um consegue se eleger presidente dos Estados Unidos…

    Espero que surja um SUPERMAN negro para ajudar os Republicanos nas próximas eleições-deve haver algum perdido por aí,no espaço sideral(afinal,em Kripton deve ter existido algum negro,ou mulato,ou mestiço…)!!!

    Fantasia???!!!

    É…Fantasia como Barack Hussein “Osama”,que consegue eleger-se Presidente dos Estados Unidos…

  14. Como você mesmo chamou outro dia - Melíflua diz:

    Tenho conciência se o MacCain ganhar vai ser melhor econômicamente para o Brasil.
    Mas temos que parar de pensar no material e pensar que com vitória do Obama o mundo vai ficar mais em paz. Porque Deus é sábio e Obama tem em sua pessoa todas as representações de todas as tribos consigo

  15. Sandra diz:

    Diretas Já, Queda do Muro de Berlim,… De vez em quando uma utopia faz bem. Depois tudo volta à verdadeira dimensão, não necessariamente numa escala tão mais baixa. Que os EUA vivam sua utopia.

  16. Alex Dedáderi (aquele, do 3º colegial) diz:

    Fala meu grande amigo Leandro. Quanto tempo, hein. Fuçando na internet acabei achando seu blog que, por sinal, como diria vc mesmo, é SENSACIONAL!!!!
    Bem, vc tem meu e-mail aí, agora (o coloquei nesse comentário). Me add no msn ae.
    Com relação ao seu comentário:
    Torço para o Obama, mas acho que o McCain é melhor para o Brasil. O Brasil está longe de ser alvo militar dos EUA. Então com o McCain menos proteccionista e mais incompetente na política econômica, seremos beneficiados. Já o mundo não sabemos. Talvez, criarão um factóide qualquer para gerar um novo bombardeio militar a algum país que não está no Ocidente e nem é Católico, Judeu ou Protestante. Assim, as Industrias americanas( Bélica, Bens de Consumo, Alimentos, Mídia em geral) e outras virão depois para reconstruir terra arrasada. Assim o mundo supera a recesssão, por meio da Democracia Libertadora Americana. Claro que se o Obama ganhar isto também não está completamente descartado.
    É isso, emu bom véio.
    Mande notícias

  17. Henrique diz:

    Este seu post me lembra o que disse o presidente Hugo Chávez, da Venezuela: “Que um negro chegue à Presidência dos Estados Unidos não é pouco; que esteja à altura da história é outra coisa”.

  18. Arnaldo Lima diz:

    Eu acho que o Obama vai ganhar sobretudo pq os americanos, a menos que alguém detone uma bomba, votam com o bolso.

    Se o bolso estiver cheio, o presidente pode fazer o que quiser no salão oval e adjacencias.
    Se o bolso estiver vazio a fila anda em direção oposta.

    No meio de uma crise como essa os democratas conseguiriam eleger até alguém azul.

  19. americano feliz diz:

    Go ahead Obama´s electors! We shall overcome and change this country and the world! Be aware with Florida! I will in my heart be togheter with you in the great party in Washington DF!!!!
    Dear Mr. President: my good wishes and be strong!

  20. cris diz:

    Só o racismo pode derrotar Obama?
    Só o racismo dará a vitória a Obama. Nunca se viu tanta manifestação de racismo hipocritamente disfarçada. Quanto do eleitorado negro votará sem pensar em Obama? e por quê? e quanto do eleitorado branco votará em Obama simplesmente por ser ele negro? E a simpatia mundial a Obama está baseada em que valores do candidato? Ou está baseada na inveja, no recalque, na mágoa contida que o mundo tem de uma nação de em dois séculos saiu de uma colonia para a liderança mundial? A mim parece que o mundo torce para poder dizer: “bem feito! vão ser governados por um negro, ha ha!” Racismo puro! Até parece que os americanos não vão saber lidar com isso. Suas instituições permitem situações que para outros países, tidos como humanistas, seria uma tragédia, mesmo que não confessada

  21. neto diz:

    Reflitamos: os EUA é o país mais rico e poderoso do planeta e, para chegar a essa condição, muita gente foi morta e ainda é; muita gente morreu de fome e ainda morre; muito país foi a falência e…etc., etc., etc. É congruente acharmos que o povo americano merece um “salvador” da pátria (ou como eles querem: “do seu rico dinheirinho”). Infelizmente os EUA são ricos e cheios de armas letais e têm uma dívida carmica terrível com a própria história. Quem for vivo verá. Obama…? Tsh, tsh, tsh…

  22. Luana diz:

    No fundo, dentro do sistema eleitoral norte-americano, eleger Obama, McCain ou um cachorro amestrado é quase a mesma coisa. Esse sistema indireto e cheio de complicações é justamente uma forma de evitar grandes surpresas. Na verdade, o futuro presidente tem que passar por três “filtragens”: a indicação do partido, a eleição em si e o colégio eleitoral. Apesar das acusações mútuas, os dois lados da disputa têm muito mais semelhanças que diferenças, e partilham daquela obtusidade burguesa que fazia Schopenhauer dizer que o povo americano saiu direto da barbárie para a decadência sem passar pela civilização

  23. everton guidé diz:

    Sobre as eleições americanas, nunca se sabe o que acontece. O processo é estranho. O sujeito às vezes ganha mas não leva. Se tiver um primo num programa de tv que diga “fulano venceu”, mesmo que seja mentira, todo mundo acredita.

  24. Danilo vieira diz:

    Primo…
    Divirjo (esse verbo tá certo?) de vc.
    Acho que Obama merece sim ser o presidente dos Estados Unidos. Tá na hora de mudarr, não?
    Vc, comentando eleição desse jeito, parece aqueles velhotes conservadores ao extremo
    KKK

  25. Jose nunes rodrigues filho diz:

    Agora que Obama está quase lá, todo mundo quer ficar ao lado dele, para aparecer BEM NA FOTO no dia de sua posse.
    A amazônia que se cuide, hein !
    A dupla Al Gore e Obama, não sei não…
    Será Al Gore o futuro ” Secretário Global do Meio Ambiente ” ?
    Pode então começar dar o exemplo pela sua mansão, pois o consumo mensal de sua energia elétrica o equivalente a 400 residências de aposentados argentinos. Protesto de um deles, quando foi ” coroado ” com o Prêmio Nobel.
    Talvez agora já tenha diminuido, pois andou trocando por algumas parafernalhas renováveis de captação de energia solar.
    Saiu na internet !

  26. Natália R. diz:

    Será que Obama virou o “establishment” e McCain a contestação? Ou é uma conspiração insidiosa contra e democrata?

  27. Luiz Ferreira diz:

    gente: O Obama deve ganhar estas eleições. Aliás, ele precisa vencer o medo e reconstruir a Paz no Mundo. A antevisão de Lobato vai se concretizar antes do tempo . Vamos lá> Torcer pelo B arack. Luiz

  28. Bruno Costa diz:

    Obama será o Lula brasileiro. O Lula colocou o Brasil nos trilhos. Hoje o nosso país é respeitado em nível internacional. Obama vai fazer o mesmo com os Estados Unidos. Vai colocar esse país nos trilhos.

  29. Lincon Baptista diz:

    O ocidente precisa voltar a ter seu antigo poder outra vez, não somente o seu poder militar mas o mais importante de tudo, o seu poder moral.
    Está na hora da civilização ocidental renascer das cinzas, está na hora de mostrar aos tiranos do mundo e aos povos oprimidos que a força do ocidente não vem de suas armas, mas sim de suas idéias.
    Obama é a realização do sonho americano, espero que ele faça um bom trabalho, pois não só os EUA, mas o mundo depende disso.
    Rumo a democracia planetária.

  30. Neudir Ferabolli diz:

    americano, de aparecer sempre como o melhor do mundo. Aliás, este canditado se tornou um herói americano (que a meu ver não pode ser considerado herói no sentido verdadeiro da palavra), em uma atividade de ingerência belicista em outro país. O que a guerra pode trazer de bom para o mundo?
    E o outro candidato representa a missigenação de culturas, de religiões, de raças e o reconhecimento de um talento pessoal, de conquista com sua própria capacidade e garra.
    McCain, aliás, tirando-se as iniciais, vira Cain e Obama, tirando as iniciais vira Ama. Sou mais Obama por este diferencial, por mostrar um novo paradigma para a política americana e para o mundo, por nos fazer ver que a imagem é mais verdadeira do que a própria verdade, como dizia o Baudrillard.
    Quanto à crise americana, Deus não mata mas castiga.
    O que a administração Bush devia ter feito após os atentados de 11 de setembro? Deviam ter testemunhado ao mundo o que Jesus Cristo mandou fazer, ou seja, amar o inimigo. Este teria sido o ato heróico mais extraordinário, não só da administração Bush, mas da história dos Estados Unidos. E, certamente, hoje, ao invés de crise, haveria muitas bênçãos sobre este povo e sobre a terra. Nós colhemos o que plantamos. E quantos tiveram a vontade de se vingar quando os ataques aconteceram?
    A raça humana precisa aprender com a dor que o mal feito a um indubitavelmente atinge a todos.

  31. Antônio Gonçalves diz:

    reciso ser muito mal-intencionado para evitar a emoção de ver um povo, sem ser obrigado a votar, formar filas quilométricas para escolher seu presidente. Tudo que Bush e o “establishment” fizeram de errado está sendo consertado pelo povo. Provaram que o voto obrigatório só interessa aos políticos que só querem aumentar números do legislativo e de ministérios (Os EUA têm os 35 ministérios de Lula?). Dia comum de semana, não se viu um cabo eleitoral, os candidatos fizeram propaganda até no dia da eleição, o sistema eleitoral funcionou sem frescuras – filas de máquinas de votar e de cabines de voto escrito lado a lado, filas de eleitores depositando nas urnas votos manuais. Talvez os norte-americanos tenham evoluído com o sofrimento da imposição de Bush, seu roubo da primeira eleição, uma guerra catastrófica, onde a morte da juventude do país não impede a destruição de Iraque, Afeganistão e Paquistão. Os norte-americanos podem responder a Machado de Assis: ‘Não foi o natal que mudou, fomos nós; talvez tenhamos elegido um presidente negro antes do Brasil, país de blá-blá-blá, mas de pouca ação efetiva. Somos evoluídos economicamente e, hoje, evoluímos em civilização.

  32. Altoid Sponotz diz:

    Eu quero ver a cara desse povo todo se o McCain ganhar a eleição. Como disse uma colunista americana, os Estados Unidos correo risco de eleger o candidato mais despreparado, menos testado e menos conhecido da história

  33. Ricardo diz:

    Não sei quem é o pior entre Obama e Maccain.
    Lamento que Hillary tenha sido derrotada nas prévias democratas.
    Obama ainda é verde, talvez imaturo para conduzir o país mais importante do mundo, enquanto Maccain não me inspira confiança quanto ao respeito a democracia e liberdade de outros países, seu passado como combatente em guerras é muito forte ainda, um verdadeiro enigma

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s