O bedelho do Estado no que não é do Estado

Reduzir gastos ninguém quer, mas meter o bedelho na gestão das empresas, ah, isso sim; o Governo quer.

Lula e o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, querem punir empresas que demitirem funcionários por causa da crise. É o cúmulo do atrevimento estatal em tentar cuidar do capital privado.

O empregador vê-se atolado de carga tributária. Mas isso o governo ignora. Prefere apelar ao pragmatismo barato e recorrer a ameaças de cunho totalitarista, beirando o falecido poder moderador. O empresário contrata, paga salário, gera riqueza; daí, vem a marolinha do Lula e impacta as finanças da empresa. Se o Governo não reduz impostos, a saída é, de fato, cortar gastos com pessoal.

Empresas devem ter liberdade para contratarem e demitirem funcionários quando bem entenderem.

Definir punição a empresas que demitem para poder sobreviver à atual turbulência ultrapassa os limites da sensatez. Capital privado não é capital do Estado.

Anúncios
O bedelho do Estado no que não é do Estado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s