UMA XENOFOBIA INVENTADA

O episódio vivido pela brasileira Paula Oliveira, na Suíça, conforme previ para mim mesmo, despertou na maioria do povo brasileiro a sensação de uma xenofobia recorrente na Europa. Mesmo havendo provas incontestáveis de que Paula não estava grávida e de que suas feridas são frutos de automutilações, a burritsia resolveu adotar uma retórica anti-européia e, como sempre, recuperar aquela encanecida história: o sofrimento dos [ditos] desfavorecidos em países desenvolvidos. E, partindo desse princípio, a coleção magnífica de besteiras registra mistificações recorrentes sobre certos países europeus: xenofobia, tolerância com o neonazismo e racismo avassaladores contra estrangeiros.

Se o fato não ocorreu conforme amplamente noticiado desde o início, então, agora, o assunto começa a ganhar contornos deturpados. Os skinheads não a espancaram? A moça inventou toda essa história? Ela se autoferiu?  Não tem problema. Para uma laia de gente isso não livra a Suíça da responsabilidade do fato, mas, indiretamente, faz do país um, digamos, fundamentalmente culpado, simplesmente porque, pasmem!, há registros pretéritos de xenofobia em toda a Europa. É uma das mais improcedentes teorias que já vi: o passado xenófobo da Suíça é responsável por Paula ter se automutilado!

A mediocridade do Brasil extremou-se de tal maneira que passamos a culpar os outros pelas nossas próprias injustiças, pelos nossos próprios erros. E não me limito apenas à atitude de Paula, mas também estendo minha crítica a Celso Amorim – esse gigante de nossa diplomacia decadente. Mal surgiram os rumores, Amorim já ameaçava recorrer à ONU e denunciar a Suíça. Uma estupidez; e, se me permitem, uma molecagem. Mesmo que tudo sustentado por Paula fosse verdade, Amorim não teria o direito de se antecipar à concretização dos fatos a fim de fazer justiçamento (sim, é um neologismo meu).

Guardadas as devidas proporções, se acusar um país de xenófobo fosse de tal modo trivial – como se entende ao vermos os comportamentos da imprensa e do governo brasileiros – o Brasil seria um dos países com índice de rejeição a estrangeiros mais alto do mundo. E não me refiro a questões inerentes a trabalho e oportunidade; afinal, já estamos abrigando até terroristas da Itália… Refiro-me mesmo à carnificina promovida por aqui contra turistas. Basta digitar no Google “ turista + assassinado + Brasil” e conferir o massacre caseiro contra quem é de fora. Somos xenófobos por causa disso? Creio que não. Apesar de todo esse banho de sangue, nem mesmo os países europeus têm o Brasil como um país anti-estrangeiro. Muito diferente de nós, que não podemos ver um brasileiro se autodestruir na Europa e já nos antecipamos em culpar a… Europa.

Notem: não estou falando, aqui, das críticas tecidas quando  a versão conhecida era somente a de Paula, não. Faço alusão a uma estilha de gente que, mesmo depois de provado que não houve em momento nenhum atos xenófobos contra a brasileira, insiste na cega obstinação — e que já vitou lugar-comum: a culpa é deles; mesmo que não tenham nada a ver com isso, eles são os réus.

Além de tudo isso, ainda somos obrigados a abrir a Folha de S.Paulo em pleno o domingo e dar de cara com Eliane Cantanhede a verborragizar o que segue:

Se os cortes em Paula são superficiais, lineares e femininos demais para terem sido feitos por brutais skinheads, eles não eliminam as dores dos brasileiros humilhados em aeroportos espanhóis, sem banho, sem ressarcimentos e até sem dentes, perdidos a socos policiais.
Paula pode ter sido um erro, mas o erro maior está lá. Por que foi tão fácil inventar e acreditar num ataque de skinheads? Porque há quem não creia em xenofobia, mas que ela existe, existe. E tende a piorar.

Sacaram? A valente segue o seguinte raciocínio: pouco importa se os suíços feriram Paula ou não. Importa, mesmo, é que poderiam tê-la ferido.

Leia também: Paula-Cordial

Anúncios
UMA XENOFOBIA INVENTADA

10 pensamentos sobre “UMA XENOFOBIA INVENTADA

  1. Pedro Moraes diz:

    Como podem brasileiros duvidarem do ocorrido.e imaginar que ela se automutilou .Vamos lembrar da morte do jean charles na inglaterra.e de tantos outros que sâo maltratados la fora…É o fim da falta de amor ao país.ao povo de sentimentos patrioticos..Acho tudo isso lamentavel e com certeza o governo deve agir e exigir respeito como respeitamos os estrangeiros que aqui chegam…O nosso pais anda com leis frouxas para imigrantes deveriam repensar nisso so assim alcançaremos o respeito que nos devem

  2. Paulo Galvez diz:

    É preciso apurar antes de julgar. Segundo as últimas informações médicas, ela não estava mesmo grávida. Xenofobia é extremamente grave, mas, este parece não ser o caso. Também, enquanto brasileiros, não podemos esquecer que escravisamos trabalhadores bolivianos nas confecções clandestinas de São Paulo. Não podemos ignorar nossa própria realidade.

  3. Fernando diz:

    se esses ferimentos fossem feitos por grupos radicais, no caso neonazistas, ou ela estivesse grávida, ou não, eles teriam cortado as pernas e a barriga dela sem a mínima “DÓ” e hoje realmente ela estaria internada e bastante ferida…, devem dar graças a Deus que ela não cruzou com esses grupos sádicos e radicais, se fosse o contrário ela não estaria contando aos policiais o ocorrido.

  4. Raquel diz:

    Apesar de a famílai de Paula afirmar que ela não é louca, vale lembrar em o mesmo diziam os amigos próximos de Suzane von Richtofen

  5. Jaqueline Pedrosa diz:

    Sem dúvida está tentando cometer uma fraude com vistas à alguma indenização pelo governo suíço. Se houve o aborto onde estão os fetos ? Espero que ela seja deportada pelas autoridades suíças. Afinal o caso Batisti está aí para falar por nós. Imagine conseguir o visto de permanência na Suíça e cometer um desatino desses. A Polícia Suíça e a Interpol deveriam investigar melhor QUEM é afinal esta cidadã, o que ela fazia no Brasil e o que foi fazer lá ?

  6. Eliana diz:

    Apareceram fatos que colocam a Paula como mentirosa costumaz. Amiga relata que ela mentiu ao dizer que era casada com um francês que estava no voo da TAM, o do acidente. Disse também que o ultrasom foi tirado de um site de busca de imagens.

    Sinto muito pela Paula, mas a cada dia fica mais complicado acreditar nela.

  7. Marcos Trajano diz:

    É lamentável o ocorrido. Mas, quando será que os brasileiros vão parar de ser idiotas, em achar que morar no exterior é chique e bom, sendo que todos os dias o que vemos na imprensa são brasileiros sendo discriminados, maltratados ou sei lá o que. Se essas pessoas se acham tão competentes, por que não ficam por aqui? Jamais eu queria morar em um país sem se sentir a vontade. Mas vamos acompanhar o desenrolar desse problema.

  8. Fanfarrão diz:

    Que mensagem o Brasil passa ao mundo ?
    Dá asilo político a um assassino (Batisti) e depois cobra rigor de outros países !!!!
    O Brasil é o país que mais beneficia criminosos. Existe uma possibilidade infinita de recursos.
    Com bastante dinheiro e bom advogado, ninguém vai preso neste país…

  9. um pouco cético mesmo diz:

    Além das marcas no corpo parecerem muito regulares,mais um fato é muito curioso: O S DE SVP ESTÁ AO CONTRÁRIO. Tente escrever um S na própria barriga que ele ficará ao contrário para quem o lê, exatamente como se verifica na imagem. Portanto, mais um forte indício de autoflagelação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s