SOBRE ABORTOS E DOM JOSÉ SOBRINHO

Com a frase “aborto é mais grave do que estupro”, dom José Sobrinho encerrou sua justificativa à excomunhão da equipe médica  e da família de uma menina de 9 anos de idade, vítima de estupros do padrasto. Os médicos foram extirpados pelo o fato de terem realizado o aborto e, a família, por ter condescendido.

Já expressei inúmeras vezes aqui no blog que sou contra o aborto, salvo em três circunstâncias: 1- vítima de estupro (onde a dignidade da mulher é violentamente arrasada); 2- gravidez de alto risco (antes salvar uma vida – a da mãe – do que perder duas); 3- má-formação do feto (sou contra estender sofrimentos irreversíveis).  Já no que concerne à gravidez indesejada; bem, sou curto e grosso: não há sexo indesejado, não é mesmo? – exceto em casos de estupro, endosso. Alguns falsos humanistas sempre surgem nessas horas com o objetivo de alavancar tal da “liberdade de escolha da mulher”. Só que essa tal de “liberdade” implica em, pura e simplesmente, sacrificar uma vida resultado de promiscuidade e de lascívia. Chegar a ser espantoso o tipo de campanha que certas instituições fazem em prol da legalização do aborto. É como se o ser que está na barriga de uma mulher não valesse nada, sequer existisse. Essa gente parece ignorar que, se hoje brigam por esse direito imbecil, foi  porque um dia tiveram o direito de nascer.

Uma leitora do blog me enviou um link de um site medonho: Woman on Waves. Ali se encontra um rico material instrutivo sobre os procedimentos de um aborto com apenas um medicamento: o Misoprostol. Chega a ser apologético. Acompanhem um trecho da, como direi?, aula.

Em países onde o aborto é ilegal, pode usar-se apenas o Misoprostol para induzir o aborto. O uso indevido do Misoprostol pode ser prejudicial para a saúde da mulher!!

Para induzir o aborto, a mulher deve colocar 4 comprimidos de 200 microgramas (no total de 800 µg) de Misoprostol sob a lingüeta. Não engula!!.

(uma mulher pode também introduzir 4 comprimidos de 200 microgramas com os dedos tão fundo quanto possível na vagina (bem atrás, onde o útero começa). Os comprimidos não funcionam se estiverem à entrada da vagina!!! Os comprimidos funcionam ainda melhor se forem molhados antes de introduzidos na vagina.)

3 horas depois a mulher deve colocar mais 4 comprimidos de Misoprostol sob a lingüeta. Não engula!!

(ou na vagina tão fundo quanto possível.)

Se após a segunda dose de comprimidos, não ocorrer hemorragia, a mulher pode colocar de novo, pela terceira vez, 4 comprimidos de Misoprostol 3 horas depois.

A taxa de sucesso é de 80% – 90%.

Após a primeira dose de Misoprostol, a mulher deverá sangrar e sentir dores. A hemorragia começa normalmente 4 horas depois da utilização dos comprimidos, mas, por vezes, mais tarde. A hemorragia é muitas vezes o primeiro indício de que o aborto começou. Se o aborto continuar, a hemorragia e as dores tornam-se mais intensas. O fluxo da hemorragia é muitas vezes maior e mais intenso do que na menstruação normal, e acontece expelirem-se coágulos de sangue. Quanto mais avançada a gravidez, mais fortes serão as dores e a hemorragia. No final do aborto, as dores e a hemorragia diminuem. O momento do aborto pode ser identificado com o pico da hemorragia, dores e contracções, que se tornarão mais intensas. Um pequeno saco gestacional, com alguns tecidos em volta, pode ou não ser visível dependendo do tempo de gravidez. Por exemplo, se a mulher estiver grávida de apenas 5 a 6 semanas, o saco gestacional não será visível. Com nove semanas, a mulher poderá provavelmente encontrar o saco no meio do sangue.

Se a mulher não tiver a certeza de que conseguiu abortar após ter utilizado a segunda dose de Misoprostol, pode usar mais 4 comprimidos 3 horas depois. Quando a mulher não tem qualquer hemorragia após a terceira dose, significa que não houve aborto. Pode tentar outra vez uns dias depois ou terá de viajar para um país onde o aborto é legal, ou, ainda, tentar de novo consultar um médico.

Para aliviar as dores, a mulher pode usar analgésicos como o Paracetamol.

(Von Hertzen H, ea WHO Research Group; Efficacy of two intervals and two routes of administration of misoprostol for termination of early pregnancy: a randomised controlled equivalence trial, Lancet. 2007 Jun 9;369(9577):1938-46. )

Hemorragia pós-aborto

A hemorragia continua ligeiramente durante uma a duas semanas após o aborto, por vezes menos, outras vezes mais. A menstruação volta normalmente passadas quatro a seis semanas.

Confirmação do aborto

Algumas mulheres perdem sangue, mas não têm um aborto. Como tal, é importante que a mulher se certifique de que o aborto realmente ocorreu. Pode demorar duas a três semanas até que o teste de gravidez se revele negativo. Se possível, a mulher deve fazer uma ecografia uma semana após o aborto para ter a certeza de que o útero está vazio.

Nota-se a frieza e o desprezo no trato de uma vida.

Nota-se o valor que a vida humana tem para algumas pessoas.

E, de certa forma, nota-se a te mesmo o desdém que algumas mulheres tem consigo mesmas ao se submeterem a tal procedimento.

Pergunto: se a gravidez é indesejada, o que custa parir o filho e depois entrega-lo para adoção?

Caso de Pernambuco

Não me atreverei a analisar a excomunhão dos médicos e da família da menina à luz do Direito Canônico por um simples motivo: falta de competência para tal.

O que ainda não compreendo é como a Igreja Católica – e algumas protestantes também – permanecem com certos códigos com força de lei totalmente pusilânimes quando contextualizados em algumas situações.  E, notem: isso não se trata de dogma (uma vez que este é inquestionável), mas, sim, de valores cultivados pela Igreja ao longo da História.

Hoje o Catolicismo já não joga mais seus desertores na fogueira. O protestantismo conservador americano já não persegue as Bruxas de Salém e as condena à morte. Isso tudo é mostra de que a possibilidade de a Igreja se reinterpretar é coerente. No caso de Pernambuco, por exemplo, médicos especialistas deram pareceres de que o corpo da garota jamais teria estrutura para suportar gestação de gêmeos. Ela e as crianças correriam grave risco de morte. E a agravante disso tudo, como já amplamente divulgado, é que a semente de todo esse mal foi um estupro.

Dom José Sobrinho ignorou as limitações corpóreas da menina e o amparo legal dados aos  médicos para que realizassem tal procedimento assim como ignorou excomungar o padrasto da menina.

E, aos que amam atacar as religiões, um aviso: DEUS NÃO TEM NADA COM ISSO. O problema é de quem usa seu nome em vão a fim de fazer valer certos princípios.

Anúncios
SOBRE ABORTOS E DOM JOSÉ SOBRINHO

Um pensamento sobre “SOBRE ABORTOS E DOM JOSÉ SOBRINHO

  1. lyn diz:

    o que custa parir um filho e dar pra adoção a lei ridicula no brasil onde aborto é crime..e matar no transito nao é…e as mesmas pessoas q te criticam por um aborto sao as mesma que dizem jamais colocar um filho pra adoção e depois tem a cara de pau de dizer pariu crie…crie o caralho pra quer ver crinaça de ruas drogadas e td mais claro que nao é regra há exceções mas tô fora….e ha sim gravidez indesejada camisinha estoura anticomcepiional falha e pilula diad tbm então nao quero ficar grávida posso decidir pelo meu futuro tbm ainda mais quando um homem que nem pode ser chamado assim é o pai e tira corpo fora pra não assumir mulher não é obrigada a assumir nada sozinha querido só suas contas!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s