ARTILHARIA PETISTA EM AÇÃO

José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, concedeu uma entrevista para o Estadão de hoje. Pra variar, o valente afirma que, se a Petrobras não estive nas mãos do presidente Lula, parte da empresa teria sido privatizada. Leiam trecho da entrevista. Volto depois.

Se o resultado da eleição tivesse sido outro, qual caminho o sr. acha que Petrobrás teria tomado?

Só posso reafirmar que a Petrobrás estava a caminho de se transformar numa empresa muito eficiente separadamente e que perderia a capacidade de integração entre as diversas áreas da companhia. Teria investimento e crescimento menores do que teve. Provavelmente teria menos preocupação com o controle nacional, portanto teria menos impacto no estímulo da indústria brasileira. Teria focado suas atividades em setores diferentes do que foram focados. E o resultado disso é difícil especular qual seria. Seria uma empresa diferente do que é hoje.
O sr. acha que ela poderia ter sido privatizada, por exemplo?

Como um todo, acho difícil. Mas partes dela poderiam (ter sido privatizadas). Seria difícil uma privatização total da Petrobrás, mas partes dela, sim. (Entrevista completa aqui.)

José Sérgio Gabrielli já teve muitas outras oportunidades para falar da Petrobras. E é incrível que justo agora, com o cenário eleitoral de 2010 se desenhando com Aécio fora da jogada deixando o caminho livre para Serra, ele resolva trazer de volta o discurso da privataria. E vejam que maravilha as previsões que ele para a empresa caso o eleito não fosse Lula. “Provavelmente teria menos produção”. E, a partir disso, se desencadeiam as demais conseqüências: menos investimento e uma empresa muito diferente do que é atualmente. Engraçado que, para defender essa tese, Gabrielli se vale de um advérbio de dúvida seguido por um verbo na forma condicional.

Ou os tucanos começam a defender as privatizações realizadas na era FHC ou o PT trará as mentiras da privatização novamente à tona. Como se tudo o que foi privatizado pelo governo Fernando Henrique não tivesse hoje seus méritos.

Uns reclamam que a Vale foi vendida a preço de banana. Santo Deus! Ora, essa é a lei de mercado. À época, quanto valia a Vale, que estava em uma verdadeira situação de penúria? Ninguém no mundo compra uma empresa que vai mal das pernas a peso de ouro. Outro exemplo de justificável: a Rede Ferroviária custava aos cofres públicos cerca de 2oo milhões de reais por ano e era repleta de gente que não gostava de trabalhar. E os telefones, que custavam o equivalente a 5 mil reais?

Caso o PT tivesse sido governo durante os anos FHC, hoje, essas empresas estariam todas nas mãos do Estado, mas gerando despesas incalculáveis, servindo de cabides de emprego para meio mundo e jogando as contas nas costas do contribuinte.

Repito o que já disse em um outro post: está dada a senha dos nortes morais do PT para as eleições 2010.

Anúncios
ARTILHARIA PETISTA EM AÇÃO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s