POR QUE O BARQUINHO DO FANTÁSTICO SÓ NAVEGA EM SÃO PAULO?

46 dias seguidos de chuva deixaram a cidade de São Paulo em situação que, se me permitem usar bordão alheio, nunca antes na história deste país pôde ser vista. Há décadas não chovia tanto. Resultado: enchentes, alagamentos e, claro, vieses partidários.

O caderno Cotidiano, da Folha, e o Fantástico, da Globo, têm se ocupado em mostrar o drama das famílias que perderam tudo em virtude das inundações. Vão lá ouvir a dona Maria e o seu João. Depois disso, vêm as espadadas em José Serra e Gilberto Kassab, criando um soslaio à idéia de “os gestores que não conseguiram impedir o desastre daquelas pessoas”.

Fico cá me perguntando se o frêmito dos temporais também deveria levar a Folha e o Fantástico aos municípios de Osasco, Suzano, Carapicuíba, Francisco Morato, Guarulhos e São Bernardo do Campo. Em todos esses municípios, as chuvas torrenciais também causaram danos e desabrigaram famílias.

Fico imaginando o que tem a lama de São Paulo e falta na lama das cidades que citei. Aqui, em São Paulo, repórteres enfrentam mau cheiro, arriscam ficar com água em meio à cintura, sujeitam-se a ser rodeados de moradores indignados, dão-se ao trabalho de ouvir especialistas e descobrirem soluções… E, claro, põem o dedo em riste para apontar pra cara de Kassab e de Serra: “incompetentes”, eis a mensagens que querem passar.

Por que ninguém vai pisar no barro de Osasco, onde o prefeito é Emídio de Souza, do PT? Cadê os repórteres de galocha nos alagamentos de Suzano, cujo prefeito é Marcelo Cândido, do PT? Por que ninguém vai cheirar as águas barrentas de Carapicuíba e tirar satisfação com  Sérgio Ribeiro (PT)? E em Francisco Morato? Cadê os repórteres ávidos para ouvir o povo governado por Zezinho Bressane, também do PT? Os moradores de Guarulhos, onde o prefeito é Sebastião Almeida (PT), também querem os microfones do Fantástico para protestar. E por que cargas d’água  nenhum repórter se arrisca nas ruas submersas de São Bernardo do Campo, cuja administração está nas mãos do petista Luiz Marinho?

Pois é… Em São Paulo, a culpa é de Kassab e ninguém faz questão de não dizer isso – mesmo que subjetivamente. Mas nos municípios onde há petista na gestão, aí não, aí a culpa é da chuva mesmo.

Tem voz na imprensa só o pessoal do Jardim Pantanal e do Jardim Romano. Só eles sobem naqueles barquinhos dos repórteres e mostram suas perdas. Ei, Fantástico, os moradores das cidades governadas pelo PT também querem andar de barquinho com os repórteres de vocês!!!

Anúncios
POR QUE O BARQUINHO DO FANTÁSTICO SÓ NAVEGA EM SÃO PAULO?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s