POR DENTRO DO BLOG E POR DENTRO DE ALGUMAS CANALHICES

Amigos,

Este blog voltará a ser atualizado na próxima semana, em 1º de março. A rotina desta página encontra-se prejudicada, eu sei. Infelizmente, ainda não inventaram um método de inserir mais horas no dia. 24 voltas no relógio não são o suficiente para comportar todas as minhas atribuições.

Enquanto isso, é bom que todos fiquemos vacinados contra “tudo isso que está aí” (quem se lembra desse brocardo petista que lhes valeu ouro?).

Dilma Rousseff, finalmente, foi aclamada pré-candidata do PT à Presidência da República. Em seu discurso, a predominância não foi das exaltações ao governo Lula — como se Ele (quem lê a Bílbia, entende o porquê desse ‘Ele’ em maiúsculo) tivesse parido Mateus. Tampouco foi seu plano de governo. Tocante a isso, o máximo que se viu foi um conjunto de subjetividades em órbita de um imperativo categórico de deixar Marx com medo. O que vimos ali, predominantemente, foi mentira, foi vigarice, mistificação.

Em tempos de outrora, a imprensa encarregar-se-ia de destrinchar as entranhas da fala de Dilma e combater ponto a ponto cada ridicularia ali vendida. Hoje me dia, não. As redações contentam-se em repassar a oratória vigarista sem o menor questionamento. Acabam servindo de panfleto ao petismo. Não vi, por exemplo, nenhum jornal desmascarando discurso lulo-dilmista de que o Brasil, com o programa Minha Casa Minha Vida, fez uma revolução na política habitacional. Pura enganação!!! De 1 milhão de casas prometidas pelo programa paras serem entregues até o final do ano passado, menos de um terço ficou pronto.

Mas tudo bem… Creio que os editores estavam mais empenhados em passar uma descompostura, como diria Graciliano Ramos, em Gilberto Kassab. O prefeito foi vítima de uma arbitrariedade explícita. Pela primeira vez na História da política brasileira desde a redemocratização, um político teve seu mandato cassado porque um juiz INVENTOU uma lei. Isso mesmo!!! Um magistrado, que deveria se ater a cumprir a letra da Lei, resolveu arquitetar uma legislação à parte. Nesse devaneio, o valente pegou a caneta e meteu lá: todo político que receber 20% de doações cujas origens são de instituições com vínculos sindicais ou que tenham contrato de prestação de serviço com a prefeitura deve perder o mandato.

Quem inventou esses 20%? O próprio juiz! É isso aí. Ele deve achar esse decimal cabalístico e optou por inventar uma lei. E se o valente quisesse trocar 20& por 0,20%? Ora, também poderia.  Ocorre que, se se fosse sair caçando mandato segundo esse critério, até Lula poderia ser cassado. Pergunto: e aí, quem vai propor a cassação de um presidente com 80% de aprovação popular?

Aí vem a santa sabedoria do povo questionar: “Ah, mas não interessa a quantidade, interessa que foi financiado de foram errada”. É mesmo? Também concordo. Desde que o processo ocorra segundo a lei consolidada prevê, e não segundo  o bel-prazer de qualquer usuário toga.

Assuntos não nos faltam. Mas tempo…

Semana que vem estarei de volta. Até lá.

Anúncios
POR DENTRO DO BLOG E POR DENTRO DE ALGUMAS CANALHICES

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s