PARA FAZER PEDRA DE CRAQUE CHORAR

Quem resolve ler a biografia de Dilma Rousseff em seu site oficial (http://www.dilma13.com.br) se depara com um trecho verdadeiramente emocionante. Poucas outras histórias de vida nos trazem mensagens tão profundas e de humanismo contagiante quanto o revela o texto disponível no site. Na seção em que a infância da ex-ministra é exposta, somos confrontados com a seguinte situação (prepare-se, leitor! O fato é capaz de desencadear em nossos corações mais compaixão para com Dilma a Gregor Samsa – personagem que se transforma em um inseto em A Metamorfose, de Kafka):

Certo dia, bateu à porta um menino tão magro e de olhos tão tristes que ela rasgou ao meio a única nota que tinha. Ficou com metade da cédula e deu a outra metade ao menino. Dilma não sabia que meio dinheiro não valia nada. Mas já sabia dividir.

Tocante!
Comovente!
Emocionante!
Arrebatador!
Enternecedor!

Não demorará muito para que um cineasta surja do nada querendo fazer um filme sobre a história de Dilma. Fico cá a imaginar com meus botões a cena da rasgação dinheiro. O pai de Dilma Rousseff foi um rico empreiteiro. Devia ter à sua disposição muitos empregados para abrir a porta da frente. Mas um belo dia eis que toca a campainha. Dilma, ainda cercada de bonecas, levanta-se rispidamente e diz aos serviçais: “não, senhores! Eu atenderei a porta”. Justamente nesse dia, numa incrível obra da coincidência, Dilma abre e se depara com o tal menino magro de olhos tristes. E não pensa duas vezes: saca sua única (enfatiza-se isto lá no texto, releia)  nota e rasga-a ao meio, dando a outra parte para o menino faminto de olhos tristes. Nesse momento, começa a tocar o Adágio da Sinfonia do Novo Mundo, de Dvorák, para dar mais emoção à cena.

Pô! Custava o marqueteiro que escreveu essa geringonça ter inventado a trama de uma maneira, que pelo menos, nos leve a ter uma leve dúvida se o que está ali de fato aconteceu? Do jeito que está, temos que ler a coisa com um lenço ao alcance de nossas mãos pois, de fato, é de chorar…de rir.

Observação: Das 13 votos em que Dilma aparece na seção “Biografia”, 8 são ao lado de Lula.

Anúncios
PARA FAZER PEDRA DE CRAQUE CHORAR

Um pensamento sobre “PARA FAZER PEDRA DE CRAQUE CHORAR

  1. augusto ferreira diz:

    • Dividiu uma cédula na infantil inocência de poder solidarizar-se;
    • Subia em árvores, lia Flash Gordon;
    • Aprendeu a gostar de ópera com o pai, ouvia Dvorák;
    • O pai ensinara a amar os livros e as pessoas;
    • Aos 14 anos já tinha lido Zola, Dostoiévski e outros muitos clássicos humanistas.
    • Aos 16 sai de casa e vai à luta porque tinha certeza que o mundo NÃO era “uma coisinha fofa, gordinha, e os mandantes tipo Médice e Geisel uns velhinhos superlegais.”
    E VOCÊ, FEZ O QUE NA SUA INFÂNCIA/JUVENTUDE? O QUE TE ENSINOU SEU PAI?
    Deu no que deu. Acabou dividindo a cédula com o Noblats e Magnolis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s