FELIZ 2012 UMA OVA! SEJA FELIZ AGORA, ORAS

Amigos,

Mais um ano chega ao fim. Para muitos isso é importantíssimo. Pra mim, nem tanto. Não sou desses paranóicos que se fixam na contagem regressiva para a mera passagem das 23 horas e 59 minutos do dia 31 de dezembro para a zero hora do dia primeiro de janeiro, como se a protocolar função do relógio fosse um imperativo categórico ao qual devêssemos todos nós submeter nossos anseios. Nada mais é do que o tempo seguindo seu inexorável caminho. Por este caminho muitos ficam, outros prosseguem. Muitos morrem, mas também muitos nascem. Uns se curam, outros caem enfermos. Uns fazem do nascer do sol de cada dia como se este fosse o último, outros choram por um novo dia ter raiado. Uns agradecem a Deus; outros, a deuses; outros, a ninguém; outros, a eles mesmos. Sim, o sol nasce pra todos nós, indivíduos, iluminando nossas particularidades, nossas virtudes, nossos defeitos, nossas esperanças, nossas frustrações…

Não esperem de mim efusivas comemorações por um ano que se vai e outro que já bate às portas. Não tomo isso por festa nem por simbologia. A crença de que tudo se fará novo porque mudou o calendário é risível. Nossos destinos são traçados pelas nossas escolhas, não pelo passar do tempo. Fico matutando com meus zíperes que raio de lógica as pessoas vêem em no último dia do ano fazer um resgate de tudo o que foi feito nos 364 dias anteriores para em 2012 fazer melhor. É sempre assim: espera-se o ano novo para começar s cumprir o velho. A dieta, a academia, a procura por um emprego, a nova casa, o novo carro, a nova profissão, o novo sentido da vida, o namorado, a namorada, e assim vai. Por que raio as pessoas não fazem seus próprios reveillons? Se até 2 de outubro deu tudo errado, decrete seu ano novo em 3 de outubro, oras.

É nesse ponto que discordo radicalmente de Carlos Drummond de Andrade e seu Cortar o Tempo. Disse o poeta:

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente

Eu diria que um mês dá pra qualquer se humano se cansar e entregar os pontos. Um mês não, uma semana. Um dia. Uma hora. Um minuto. E nada impede que o tal “milagre da renovação” comece imediatamente após o declínio, no minuto seguinte, na hora após, no dia iminente. Essa é a graça da vida!

De todo jeito, não me cabe contestar o que cada um faz de seu ano novo, de seus dias, de seus meses, de seus minutos. Se você renova suas esperanças anualmente, tudo bem. Como creio que ela é atemporal, eu a renovo sempre que me dá na telha.

A todos, aquele abraço.

Feliz 2012.
Feliz 29 de dezembro.
Feliz uma da manhã
Enfim, seja feliz.

FELIZ 2012 UMA OVA! SEJA FELIZ AGORA, ORAS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s