UM PARTIDO POLÍTICO NÃO PODE SER MAIOR QUE AS INSTITUIÇÕES

É claro que ainda há muito a ser dito sobre o comportamento do PT e seus mandachuvas depois da condenação sofrida por figurões do partido no STF. Essa gente precisar ter descortinadas suas mais obscuras intenções, dia após dia – ou começamos a nos conformar que um partido é maior que as instituições democraticamente postas. As ideias do PT precisam ser combatidas, desmoralizadas. Atenção: sublinho que as IDEIAS precisam ser destruídas, não o partido. Se há algo que tenho é tolerância de quem de mim diverge. “Ah, mas então por que torpedear os ideais do PT se você tolera os diferentes?”. Simples: porque seus princípios visam nada menos que o seqüestro da República. Tolero divergências, sim; desde que estas não tolham o Estado Democrático Direito.

Tarso Genro também resolveu se manifestar a respeito da decisão da mais alta corte do País (leia aqui). E o fez nestas palavras: “A nota da Executiva Nacional do PT sobre os resultados da ação penal 470 tornou-se um marco mais importante para o futuro democrático do país do que o próprio resultado do processo judicial”. Como é que é? O documento do PT tem mais importância para a democracia brasileira que o resultado do julgamento? Menos, governador, menos! A tal nota, implicitamente, diz que as condenações não são justas porque, vejam só, sendo Genoíno e Dirceu do mesmo partido de Lula e Dilma, os que tiraram milhões de brasileiros da miséria (esse discurso já me cansou), a condenação do Supremo nada mais seria que uma franja das manifestações de preconceito ódio. É uma aberração!

Recorrendo a Luigi Ferrajoli, lembra que o sistema processual deve contemplar uma relação triangular entre os sujeitos: acusação (Procuradoria Geral da República), Defesa (advogados dos réus) e Juiz (ministros). Por incrível que pareça, Tarso também lembra que deve haver “desinteresse” e “indiferença pessoal do juiz a respeito do que está em jogo no processo”. Seria de se questionar se a participação de Tóffoli não teria de ser suprimida, não é mesmo? Como bom petista que é, evidentemente Tarso não poderia deixar de dar seu naco de pontapés na imprensa, cuja influência no julgamento, segundo ele, constituiu a “quarta ponta do triângulo”.

No desfecho, Genro dá a receita para que injustiças como essas, vocês sabem, não voltem a acontecer. “A agenda da reforma política com a valorização dos partidos, a consagração das alianças verticais e a proibição do financiamento privado das campanhas, combinada com a democratização dos meios de comunicação, são as tarefas do próximo período (…) Se isso não ocorrer à(sic) médio prazo a ‘quarta ponta do triângulo’, que dominou nesta (sic) ação penal, pode dominar a política e o Estado como um todo. E aí todos, sempre, seremos réus ideológicos, como diria Drummond, de um mundo caduco”.

O recado é claro. 1) o PT fará o que for preciso para aprovar o financiamento público de campanha, esse assalto ao bolso de todos os brasileiros; e 2) o PT lutará, sim, para impor o tal controle social aos meios de comunicação, que nada mais é que censura.

Enquanto isso, no berço esplêndido da oposição, somos brindados com silentes vozes. Não há um Cristo que se levante para denunciar esses escarcéus. Está aí, tudo escancarado, mas quê… Passam incólumes por PSDB, PPS, DEM, PSOL… Repito: é guerra que o PT está declarando. Suas ameaças de não poupar esforços para que a decisão do STF seja revista e corrigida – como se além do Supremo houvesse uma instância maior entre a República e o céu – são um acinte à democracia.

Antes mesmo de se saber no que daria o julgamento, o deputado petista José Guimarães irmão de José Genoíno, em entrevista concedida sobre reportagem da revista Veja — a qual dava conta de que Lula estava ciente de absolutamente todas as negociatas do mensalão –, destaca que, se mexeu com o Lula, “mexeu com o povo brasileiro”. Num rasgo de respeito às instituições, o valente também declarou que, “quer queiram, quer não”, o PT tomará uma medida: a “regulamentação da questão da mídia”. Entenderam? Para o moço, nem sequer será discutido pelo Congresso. Será feito à força mesmo. “Criminalizar o Lula é criminalizar a democracia brasileira”, disse. Solução? Simples: censura!!! Vejam o vídeo aqui. Sobre esse tal patrimônio democrático que o PT e Lula representaria ao País, escrevo mais tarde.

E anotem aí: ainda estamos assistindo apenas aos prolegômenos do intento dessa gente.

UM PARTIDO POLÍTICO NÃO PODE SER MAIOR QUE AS INSTITUIÇÕES

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s