Daqui a pouco

A passagem de Ahmadinejad pelo Brasil não pode passar em branco. Em breve, um texto sobre isso.

Até mais.

Daqui a pouco

DESLIGANDO A TV

São 19h44. Estou cá, ocupado em ler incontáveis sites e a assistir ao Domingo Espetacular com o insuportável Paulo Henrique Amorim.

E ninguém merece ser surpreendido com cenas de sexo explícito nesse horário.

As cenas falam por si.

Ele a pega de um jeito forte, por trás.

E ela adora.

Mordiscadas na nuca e leves passadas de língua no corpo dela.

A face de ambos, sutilmente, exprime a sensação do prazer.

E começa a cena conhecida de todos nós.

O vai-e-vem peculiar desses atos reservados a maiores de 18 anos.

Finalizada a cena de amor, cada cervo para seu lado. O macho pra um. A fêmea pra outro.

Essas cenas inesperadas na TV me irritam.

Lembro-me de um comercial de um produto que perfumava banheiros.

O moleque insuportável falava para sua mamãe: “OH MÃE, QUERO FAZER COCÔ!”.

“MAS QUERO FAZER COCÔ NA CASA DO PEDRRRINHO”

Tal fala, além de ter um viés estranho (que história é essa de querer fazer necessidades fisiológicas somente na casa do amiguinho), é nojenta. Foram várias as vezes em que esse comercial me surpreendeu na hora do jantar.

Eu ouvia: “QUERO FAZER COCÔ NA CASA DO PEDRRRRINHO”, e já não me era mais possível comer as batatas do meu prato.

Às vezes, é melhor permanecer com a TV desligada.

DESLIGANDO A TV

SANTOS, VICE-CAMPEÃO PAULISTA

santos

Desisto.

Joguei a toalha.

Santos, vice-campeão paulista.

Agora são 18h02. Já recebi pelo menos 10 ligações de uns primos malas.

SANTOS, VICE-CAMPEÃO PAULISTA

Hoje é dia

santos

Dia importante hoje.

Vamos ver.

Hoje é dia

DE VOLTA. E ENFERMO

Depois de uma passagem relâmpago pelo Rio de Janeiro, nada como chegar a São Paulo com uma gripe de fazer-me cair de boca na calçada. 

Dói tudo.

A cabeça parece estar enfiada em um esmaga-queixo (ou seria quebra-queixo?) – ferramenta de tortura utilizada na Idade Média.

Ao abrir os olhos, Santo Deus!, é como se eu visse um feixe de luz pela primeira vez e, ao tentar fixar a vista em um ponto para interpretar o mundo que vejo, uma dor horrenda acomete glóbulo ocular. Agora entendo o motivo do choro de um recém-nascido. Abrigado no ventre materno, é-lhe inimaginável a sensação de receber luzes nos sensíveis olhos pela primeira vez. Oh, como dói.

Minhas costas parecer ter recebido uma carga de toneladas para carregar. Ao levantar e ao sentar, é como se cada osso da coluna cervical esmiuçasse toda minha estrutura de míseros 1,78m de altura.

E pensar que Cristo carregou uma cruz de 50 quilos no lombo.

Adiante.

Ah sim, ao tossir, quanto sofrimento! A cada golpe de ar recebido pelo meu pulmão sinto que vou colocá-lo para fora.

E febre. Muita febre.

Cambaleante e moribundo; eis-me aqui.

À luta!

DE VOLTA. E ENFERMO

FÉRIAS!

Este blog entra em férias hoje e retoma suas atividades no dia 13 de abril.

Calma!

O tempo passa rápido.

Qualquer acontecimento bombástico que ocorra nesse período, well, darei um jeito de correr para cá.

Até mais!

FÉRIAS!

AUSÊNCIA

Como diria José Simão: Hoje, só amanhã.

Passarei o dia inteiro ocupado.

Até…

AUSÊNCIA